Como não sentir inveja dos outros em um mundo que, a todo momento, estimula a competição e a comparação entre as pessoas?

Serei bem sincera com você: é quase impossível, a não ser que você tenha se iluminado. ✨

Assim como também é quase impossível não sentir raiva, tristeza, culpa, ressentimento, entre outros sentimentos que diminuem nossa frequência.

Porém, não precisamos nos tornar reféns desses sentimentos, incluindo a inveja. Não precisamos – e não devemos – deixar que eles governem nossos pensamentos, nossas ações e, consequentemente, nossas vidas.

A boa notícia é que sim, é possível treinar nossa mente para lidar com eles de maneira mais elevada, ressignificando esses sentimentos em nossa rotina.

Um sentimento aparentemente ruim e abominável como a inveja pode se transformar em mola propulsora se você moldar seu comportamento pra esse objetivo, e é justamente isso que vou ensinar a seguir.

Então, pare tudo que estiver fazendo e se concentre nessa leitura. Chega de olhar seu feed do Instagram e se sentir um fracasso. Desperte para o seu poder!

Ao final, convido você a experimentar uma meditação preciosa do Thetahealing. São 15 minutos para celebrar a própria vida e se conectar profundamente com o sentimento de gratidão.

Não tem como sentir gratidão e inveja ao mesmo tempo. ☺️

Vamos lá?

Passo #1: Reconheça e acolha sua inveja

O primeiro passo – e talvez o mais importante – no processo de ressignificar a inveja é aceitá-la.

Quanto antes você admitir que sente inveja, mais rápido e mais facilmente conseguirá transformá-la em algo positivo. O diagnóstico é o primeiro passo para a cura.

Sim, eu sei, todos nós crescemos ouvindo que sentir inveja é feio e errado, que esse é o sentimento dos fracassados, daqueles que se sentem inferiores.

Logo, admitir que sente inveja é como se olhar no espelho e dizer “você devia se envergonhar disso!”.

Mas pense em como você age quando descobre que alguém sente inveja de você. Geralmente ficamos com raiva ou com medo. Ainda que algumas pessoas debochem da situação, isso normalmente revela um incômodo.

O fato é que a inveja faz parte da natureza humana e, portanto, todos nós vamos sentir inveja em menor ou maior grau.

⚠️ Recriminar e censurar esse sentimento são gatilhos para torná-lo ainda mais forte e presente em nossas vidas, seja dentro ou fora de nós.

Portanto, embora pareça desafiador, tente tratar a inveja com mais leveza: está tudo bem sentir inveja. Isso não torna você uma pessoa ruim ou inferior.

O que você vai fazer com esse sentimento é que revela sua essência.

Passo #2: Questione a Autenticidade da sua Inveja (e se surpreenda com o resultado!)

A inveja pode ser um convite ao autoconhecimento e à autenticidade.

Entenda meu ponto de vista: vivemos em sociedade e somos constantemente comparados uns com os outros.

  • Em casa, irmãos são comparados entre si.
  • Na escola, nossas notas são comparadas com as dos outros colegas.
  • Profissionalmente, nosso desempenho é comparado em processos seletivos e no ambiente de trabalho.

Essa comparação constante gera muita competitividade e, consequentemente, um grande sentimento de escassez.

Este é, inclusive, um dos 5 comportamentos que bloqueiam a prosperidade na sua vida.

A competição revela ainda muita insegurança e baixa autoestima: os dois ingredientes chave para a inveja.

E o mais importante: apenas quem não (re)conhece o próprio valor precisa usar o outro como parâmetro.

Mais do que isso… Se você não (re)conhece seu valor, acaba comprando o padrão de felicidade que é vendido como o único possível.

👉🏻 Casar, ter filhos, fazer faculdade, seguir uma carreira tradicional e estável, comprar uma casa e um carro… Tantas e tantas pessoas têm feito isso, tantas e tantas pessoas estão frustradas e infelizes.

Não me entenda mal: não é ruim ou errado ter e fazer essas coisas.

O que torna sua vida uma mentira é a falta de consciência em relação a essas escolhas.

Portanto, quando você sentir inveja de alguém, pense por um minuto: “eu realmente gostaria de ter isso na minha vida? Eu gostaria de ser essa pessoa? É isso que vai me fazer feliz, que vai preencher a minha alma?”.

A sua inveja pode ser, na verdade, frustração por não se encaixar em um determinado padrão. E a minha pergunta é: quem disse que você precisa se encaixar?

Tenho certeza que uma vida verdadeiramente feliz passa pela autenticidade.

Viemos a esse mundo pra sermos a máxima expressão de nós mesmos. Para isso existe o ego, que é formado pelo social e por aquilo que esperam de nós: primeiro você descobre quem NÃO é, e depois descobre quem é. Por contraste.

Tome cuidado pra não parar a sua busca no meio do caminho e viver uma vida de mentira.

Passo #3: Seja justo com você (e com os outros)

Um dos grandes motivos da inveja é a falta de razoabilidade: será que você está sendo razoável com você e com os outros na hora de estabelecer comparações? Provavelmente não.

Exemplo comum: vamos supor que você tenha o objetivo de emagrecer e se tornar uma pessoa mais fitness.

Daí você começa a seguir perfis fitness nas redes sociais com o objetivo de se motivar. Acontece que a maior parte das pessoas acaba ficando mais frustrada e desmotivada quando faz isso, normalmente por causa desses 2 motivos:

  1. Comparam seus bastidores com o palco de outras pessoas;
  2. Comparam seu capítulo 1 com o capítulo 20 de outras pessoas.

Dessa forma, fica muito difícil não se frustrar e, muitas vezes, não desmerecer os esforços dos outros.

Se você fez uma autoavaliação justa e sincera e entendeu que gostaria de ter um corpo X ou Y, será que você tem feito tudo que está ao seu alcance para chegar a esse objetivo?

E se está fazendo tudo que é necessário, será que deu tempo das mudanças acontecerem?

Afinal, a vida inteira seguimos determinado padrão – o que gera uma série de consequências – e, quando decidimos mudar, queremos resultados imediatos.

Além disso, nós nunca sabemos exatamente o que alguém precisou fazer para chegar a um objetivo (seja estético ou absolutamente qualquer outro): quantas noites precisou perder, quantas horas precisou investir, quanto dinheiro, quanta energia, sacrifícios…

E, de fato, as redes sociais contribuem para essa visão parcial dos fatos já que tendemos a mostrar apenas os aspectos positivos da nossa vida.

Ninguém mostra as 101 fotos que tirou até que uma finalmente ficasse boa. (ou você achou que só acontecia com você? 😅)

Então, já que é praticamente impossível evitar a comparação, busque ao menos ser justo: pare de acreditar que a vida das pessoas é perfeita e só você tem desafios.

Tente imaginar as dificuldades dessa pessoa invejada, assim como suas lutas e os seus defeitos.

Além disso, reconheça seus próprios esforços, suas qualidades e, sobretudo, potencialidades. No próximo passo você vai ver que a inveja também pode ser um convite ao aprimoramento.

Passo #4: Ressignifique a inveja

Vivemos em um mundo dual. Existe o claro e o escuro, o alto e o baixo, o feminino e o masculino e assim por diante.

Da mesma forma, a inveja também tem seu lado positivo: ela revela aquilo que precisamos trabalhar em nós mesmos para despertar para o nosso potencial, ela revela uma parte nossa que precisa de cura.

Se, por exemplo, sentimos inveja de um amigo que obteve um sucesso profissional, isso pode sinalizar o quão distantes estamos do nosso propósito.

Quando você tem sucesso genuíno em uma área da vida, o mais natural é que você deseje o mesmo êxito para outras pessoas. Você vibra pelo sucesso delas ao invés de invejá-lo.

“Eu estou aqui e você não.” – Fazer um esforço consciente para despertar inveja nos outros também indica um problema que deve ser observado.

Da mesma forma, não pense que ser – e se sentir – constantemente invejado é algo positivo. Pelo contrário, essa é a outra face da mesma moeda.

Se constantemente você acredita que as pessoas o invejam e tentam sabotar seus planos, isso pode indicar uma necessidade permanente de obter aprovação e reconhecimento externos.

Isso, na realidade, é insegurança e falta de amor próprio disfarçadas.

Outro exemplo: se você acredita que seu parceiro(a) é cobiçado por outras pessoas e isso gera incômodo, talvez você não se sinta merecedor(a) de estar nesse relacionamento. Caso contrário, isso não lhe afetaria.

O que fazer então?

Encare a inveja, seja sua ou dos outros, como um convite à evolução, em especial quando você sentir inveja de algo ou alguém.

Você pode encarar como uma ameaça ou como um presente do Universo: se você tem visto e atraído o belo e o bom, sinal de que isso também existe em você.

Mude a mentalidade: ao invés de se sentir ameaçado pelo sucesso/beleza/felicidade de alguém, sinta-se estimulado. Se aquela pessoa conseguiu, você também consegue. Há espaço para todos.

Aprenda a reconhecer e vibrar pelo sucesso e felicidade dos outros e naturalmente você atrai sucesso e felicidade para sua vida.

Passo #5: Agradeça

Eu sei que palavra gratidão está em alta e, sinceramente, eu prefiro a “modinha” da #gratidão do que a da reclamação.

Isso porque a gratidão é a energia mais elevada que você pode vibrar, capaz de atrair uma realidade muito melhor do que você imagina.

E quando falamos em gratidão, muitas pessoas ainda acreditam que se trata de reconhecer feitos grandiosos, como uma casa ou um novo emprego.

Não! A gratidão deve estar em cada pequena coisa que acontece na sua vida: desde um “bom dia” cheio de gentileza que você recebeu de um desconhecido até o fato de estar tocando sua música preferida no elevador, passando por aquele amigo querido que você encontrou por acaso na rua.

Assim como muitos de nós cultivamos o hábito de reclamar, também podemos cultivar o hábito de agradecer, mas agradecer de coração, e não só da boca pra fora.

Por isso, gostaria de te convidar a celebrar a sua vida praticando diariamente a Meditação do Thetahealing para a Gratidão:

Faça pela manhã durante alguns dias e veja o impacto em você e na sua vida.

Depois você vem aqui contar sua experiência? Vou adorar saber! 🤗

Ah! Diga também o que achou desses 5 passos para transformar a inveja em uma alavanca para o sucesso.

No começo, pode ser desafiador colocar esse conhecimento em prática porque não faz parte do nosso padrão de comportamento, mas conforme você aplicar e reconhecer os benefícios desse novo padrão, ele vai se tornando cada vez mais genuíno e fácil de praticar. Ele vai se tornando quem você é. Persista.

Se fizer sentido, compartilhe esse texto com pessoas queridas.

Vamos espalhar a cura!

Gratidão,

Renally Leal.

Autossabotagem é quando você, inconscientemente, sabota seus projetos e adia a evolução da sua consciência. Em um nível mais profundo, autossabotagem é a principal consequência pela culpa de ser feliz.

Todos nós, em maior ou menor grau, passamos por processos de autossabotagem. Isso acontece porque o homem é o único ser vivo que possui ego e, por uma questão evolutiva, o ego se nutre de sofrimento.

Sim, durante milhares de anos o ser humano precisou lutar para sobreviver e reproduzir. Até hoje esses são nossos instintos mais proeminentes, o que gera dois efeitos:

  • Tendemos a evitar tudo que ponha nossa sobrevivência e reprodução em risco, como, por exemplo, se expor em público e correr o risco de ser reprovado e rejeitado por determinado grupo.
  • Tendemos a supervalorizar as dificuldades, já que por muito tempo o padrão para conseguir algo foi a luta, a adversidade e os problemas.

Antigamente, ser rejeitado por um grupo significava, literalmente, morrer. Éramos totalmente dependentes uns dos outros para conseguir comida e abrigo.

É por isso que, ainda hoje, muitos de nós sentem tanto medo da exposição e de parecerem inadequados.

Da mesma forma, a maioria de nós cria dificuldades para alcançar determinados objetivos para usar o sofrimento como amparo social.

Crenças como “tudo que vem fácil vai fácil”, “o sofrimento enobrece a alma” e “dinheiro só vem com muito esforço” são extremamente comuns e estão na base dos comportamentos autossabotadores.

Mas por que uma pessoa escolhe se autossabotar?

via GIPHY

A definição de autossabotagem é simples: comportamentos que temos que boicotam a realização dos nossos objetivos.

Daí, a pergunta que se segue é óbvia: por que alguém em sã consciência faria isso com a própria vida? A resposta é igualmente simples: ninguém faz isso de forma consciente.

Os comportamentos autossabotadores surgem das nossas crenças.

Crenças são os pensamentos que tomamos como verdadeiros e representam a estrutura de quem nós somos, uma vez que toda a realidade é codificada e se apresenta, no nosso cérebro, no formato de pensamento.

Acontece assim:

CRENÇA > PENSAMENTOS > EMOÇÕES > AÇÕES > RESULTADOS

Nós tendemos a acreditar que todas as ações que tomamos são racionais e conscientes, porém, o subconsciente é responsável por 95% de toda nossa mente. Apenas 5% estão no nível da mente consciente.

Além disso, nosso sistema de crenças é formado não só pelas nossas experiências do passado – a partir de tudo que vimos, ouvimos ou testemunhamos – mas também trazemos crenças no nosso código genético e pela interferência dos nossos antepassados, sociedade e episódios traumáticos.

Ou seja, tem muita coisa por trás dos comportamentos sabotadores!

No entanto, existem sim alguns passos a serem seguidos para vencer esses padrões comportamentais e vencer o medo da felicidade, do sucesso e das mudanças:

  1. O primeiro é entender quais são os sinais de autossabotagem, que vão desde a clássica procrastinação até o perfeccionismo, passando pela ansiedade;
  2. Em seguida, observar quais desses comportamentos estão presentes no seu dia a dia e identificar as crenças por trás desses padrões;
  3. Mudar as crenças limitantes, não ignorando os aprendizados do processo de autossabotagem.

Vamos lá?

Autossabotagem: Os 6 Sinais de que você está se boicotando

Muito se fala da procrastinação como sintoma das autossabotagem, mas existem outros comportamentos automáticos e inconscientes que geram resultados negativos em nossa vida.

Vamos ver que comportamentos são esses, suas consequências e como podem se manifestar na sua rotina. Ter consciência desses sintomas de autossabotagem é o primeiro passo para a cura.

1º Sinal de Autossabotagem: Procrastinação

Você já percebeu como é fácil mudar a sua vida no futuro?

  • “Amanhã sem falta eu faço.”
  • “Segunda-feira eu começo a malhar.”
  • “Semana que vem eu arrumo esse guarda-roupa.”

É muito fácil mudar nossa vida no futuro porque no futuro não existem emoções, então você não consegue sentir o peso emocional e a responsabilidade daquilo que está decidido a realizar.

Por isso a procrastinação se tornou um hábito tão comum, em especial quando se trata de objetivos audaciosos, que precisam de um esforço considerável para nos tirar da zona de conforto.

Infelizmente, o “amanhã” se transforma rapidamente em nunca e até tarefas importantes deixam de ser importantes à medida que não imprimimos urgência em cumpri-las.

Traga sua mente para o presente e então você consegue se livrar das armadilhas do ego.

Tudo bem que você comece a treinar na segunda-feira, mas hoje você já pode se matricular na academia, pode comprar roupas novas, alimentos saudáveis, ou seja, pode fazer um movimento energético para sair da inércia e isso vai te dando força para romper esse comportamento autossabotador.

2º Sinal de Autossabotagem: Medo

Sentir medo é natural e foi indispensável no processo de evolução do homem. Foi a partir do medo que o ser humano encontrou formas de sobreviver em situações de perigo.

Acredito que por falta de motivos reais para ter medo, o ser humano começou a encontrar motivos imaginários, afinal, sentir medo se constituiu como um padrão comportamental ao longo de milhares de anos.

Por mais angústia que esse comportamento possa causar, é a forma como a maioria de nós sabe lidar com a vida.

Viver sem medo é que se constitui como uma quebra de paradigma e, portanto, acreditamos não ter ferramentas para lidar com essa mudança. (tudo isso a nível inconsciente)

Vale dizer que o medo se alimenta do desconhecido. Quando a gente não sabe o que vai acontecer, a mente começar a criar um monte de histórias sobre aquilo. (normalmente histórias ruins)

Essas histórias são, como você já viu, fruto das nossas crenças e você só consegue vencer esse padrão gerando clareza para iluminar o desconhecido.

No curso DNA Básico, você aprende a fazer o “Digging” do medo.

Muito resumidamente, o Digging do medo tem o objetivo de responder: O que de pior pode acontecer se “seu medo” se concretizar?

Faça esse exercício, inclusive (e talvez especialmente), para coisa boas.

Quando eu atuava pomo Coach de Concurso Público, fazia um exercício parecido com meus clientes e alunos.

Pedia que eles fechassem os olhos, se imaginassem tendo passado no concurso que tanto queriam, tendo a vida que desejavam e, em seguida, pedia que pensassem no que de pior poderia acontecer caso aquela cena se tornasse verdade.

Em muitos casos, a pessoa dizia rapidamente: “Meu Deus, se eu passar num concurso vou ganhar mais que meu marido e ele vai me largar!”, ou “Se eu passar num concurso, vou ter que ficar longe da minha família por anos” e assim descobríamos várias crenças por trás dos comportamentos sabotadores, incluindo o medo.

3º Sinal de Autossabotagem: Ansiedade

Podemos dizer que ansiedade é mais uma maneira da nossa mente sair do momento presente e se concentrar no futuro. Portanto, mais uma maneira do nosso ego se nutrir de sofrimentos e preocupações.

Além disso, a ansiedade está estritamente ligada à autossabotagem porque em geral exprime muita pressa.

A pressa nos deixa com a percepção nublada e, muitas vezes, é justamente isso que nos distancia dos nossos objetivos e, em última instância, da nossa felicidade.

Veja bem: tudo que o ser humano mais quer é fazer as coisas – trabalhar, comer, conversar, passear, fazer amor – em paz, não com pressa e ansiedade.

Talvez a gente só precise definir prioridades, ao invés de querer fazer tudo e, no final das contas, fazer tudo mal feito: como se não tivéssemos feito nada, pois é exatamente esse o efeito que a falta de presença causa.

Basta se lembrar do que acontece quando você está com muita vontade de comer um prato específico e, quando o momento de comer esse prato finalmente chega, você está pensando na sobremesa e nem consegue saborear a comida… 🙁

Defina prioridades, aceite que não será possível fazer tudo que você quer ao mesmo tempo, evite ser multitarefa e se concentre no que você está fazendo.

Como dizia o Osho, “quando você abandonar toda a tensão sobre o futuro, o ego evapora. Se você vem para o presente, então o ego desaparece.”

Veja aqui como a meditação pode te ajudar nesse sentido (e experimente gratuitamente a meditação especial do Thetahealing).

4º Sinal de Autossabotagem: Falta de Motivação

Um dos comportamentos mais intensos de autossabotagem é a falta de motivação, que rapidamente pode se transformar em apatia, tristeza e até depressão.

A grande questão aqui é a falta de responsabilidade diante dos próprios pensamentos e sentimentos.

Quase sempre estamos em busca de fatores externos para que nos sintamos felizes e motivados e, quando eles não vêm – ou quando simplesmente se vão – voltamos a nos preencher de tristeza e baixa energia.

Além disso, esse mesmo comportamento nos torna vítimas dos imprevistos. Qualquer situação que saia fora do planejado é capaz de nos desestabilizar e desmotivar.

Tudo isso gera desânimo, procrastinação e cada vez mais comportamentos sabotadores.

Como sair desse ciclo?

Duas atitudes ajudam muito:

1. Assumir a responsabilidade pelo que você sente e parar de esperar que a motivação caia do céu.

Está desanimado? Desmotivado? Então pare de se ocupar com notícias de tragédia, acontecimentos do passado, escândalos políticos, fofocas, intrigas e afins.

Procure elevar sua vibração. Coloque uma música alegre, dance, converse com um amigo querido sobre coisas boas, vá fazer um exercício ou uma atividade que te dê prazer.

Isso não significa negar suas emoções, mas sim assumir o papel de responsável pelo que você sente e então retomar o controle da sua vida.

2. Ter clareza do que te faz feliz

A falta de motivação surge especialmente da falta de clareza. Faça uma lista com pelo menos 5 coisas que você deseja realizar na sua vida.

Neste artigo, eu ensino como fazer essa lista de manifestações e porque você deve escrever pelo menos 5 coisas.

O fato é que, sem clareza, sua energia fica dissipada, e assim fica fácil se tornar refém da autossabotagem.

5º Sinal de Autossabotagem: Perfeccionismo

O perfeccionismo é um dos sinais mais perigosos da autossabotagem, porque além de se constituir como justificativa razoável para adiarmos nossos projetos, também alimenta uma série de comportamentos negativos, como:

  • Autocrítica exagerada
  • Crítica ferrenha em relação aos outros
  • Baixa autoestima
  • (Mais) ansiedade
  • Crenças de não merecimento

O perfeccionista está sempre em busca de um padrão de qualidade altíssimo, exigindo de si mesmo uma atuação sem falhas.

A busca pela perfeição é interminável e estressante e, além de gerar um estado permanente de ansiedade, também gera procrastinação e sobrecarga.

Afinal, se tudo precisa sair perfeito, é comum que você adie muitos projetos esperando o momento ideal chegar.

Outra coisa que também paralisa o perfeccionista é o medo de receber críticas. Em geral, são pessoas com a autocrítica elevadíssima e naturalmente projetam isso nos outros.

O medo não é da crítica em si, mas sim que alguém confirme o que ele já estava pensando sobre si mesmo. 😕

Além disso, quando o perfeccionista decide fazer algo, prefere não pedir ajuda, porque acredita que ninguém fará tão bem quanto ele.

Por fim, o perfeccionista também tende a ser uma pessoa muito controladora. Tudo tem que sair exatamente da forma como ela havia imaginado, senão não serve.

Nesse caso, mais do que em todos os outros, falta a confiança de que existe uma Sabedoria Divina que tem planos muito melhores que os nossos. Falta uma boa dose de entrega ao fluxo da vida.

É nesse sentido que vejo o autoconhecimento como ferramenta indispensável para qualquer dificuldade. Continue lendo o texto que já vamos chegar nesse ponto.

6º Sinal de Autossabotagem: Não perdoar

Dizem que perdoar é livrar-se de pesos que não são seus, mas eu discordo. O ato de perdoar deve ser feito especialmente por você e nem tanto pelo outro.

Isso porque nós gastamos muita, muita energia nutrindo sentimentos de rejeição, ressentimento, raiva, remorso, vingança…

Nesse sentido, perdoar significa não só libertar o seu coração de toda toxidade gerada por esses sentimentos, mas principalmente direcionar nossa energia para as ações que estávamos adiando justamente por falta dela.

Porém, você deve começar perdoando a pessoa mais importante de todo esse processo: você.

Se você errou, certamente foi tentando acertar. Sempre fazemos o melhor que podemos de acordo com nosso nível de consciência, com nossas experiências de vida e, consequentemente, com as nossas crenças.

A partir do momento que você percebe isso, fica mais simples perdoar aqueles que te fizeram sofrer. Você passa a entender que atraiu determinada situação, pessoa ou problema porque precisava aprender algo com aquilo.

Sim, sempre podemos aprender pelo amor, pela bondade, pela justiça, mas isso depende do nosso sistema de crenças.

Se, por exemplo, você vem de uma família que seus pais sempre brigaram muito, você pode ter gravado em sua mente que “relacionamentos são conflituosos”. O que acontece, então?

Acontece que você vai atrair pessoas que confirmem essa crença e pode acabar criando uma repulsa a relacionamentos.

Quando, na verdade, esses conflitos são um convite para você olhar para essa crença e para todas as outras que moldam seu comportamento.

A cura só pode acontecer a partir do diagnóstico, não é mesmo? Logo, a mudança de uma crença só pode acontecer a partir do momento que a identificamos.

Então, como vencer a Autossabotagem?

De um fato não tem como fugir: se você quer resultados diferentes, precisa agir de um jeito diferente. É preciso quebrar padrões.

Muitas pessoas acreditam que têm medo do fracasso, mas a verdade é que a maioria tem medo é do sucesso.

Eu não gosto muito do conceito de “sucesso” e “fracasso”, eu acredito em resultados.

O “fracasso” é resultado de ações automatizadas, que não nos tiram da zona de conforto. Logo, esse resultado já é a realidade, já estamos acostumados a ele.

Por mais sofrimento que cause, encontramos maneiras de lidar com o fracasso e podemos nos adaptar rapidamente a isso.

Portanto, a autossabotagem é vencida quando nos colocamos em movimento.Muitas pessoas – especialmente as perfeccionistas – acreditam que precisam fazer grandes movimentos para vencer os comportamentos autossabotadores, mas isso não é verdade.

É justamente a soma de pequenos passos que faz você chegar a um objetivo. E a cada passo dado, você gera energia interna para continuar.

Talvez você não tenha entrado em ação justamente porque gosta de reclamar e de fazer o papel vítima. O que você tem ganhado com isso? Pode ser que essa seja a maneira que você encontrou de receber atenção dos seus pais, companheiro(a) ou amigos. Observe e traga para a consciência.

Eu acredito que a motivação entra pelos nossos pés: ela tem que te encontrar andando!Quando a gente decide mudar, o universo inteiro começa a conspirar a nosso favor.

Por exemplo: um amigo indica um livro que revoluciona sua vida, você conhece uma pessoa que pode auxiliar no seu projeto, você é convidado para um evento. Você começa a receber sinais muitos claros a partir do momento que dá o primeiro passo.

Portanto, invista no seu autoconhecimento, além de todos os benefícios já citados, você ainda se tornará muito mais atento(a) aos sinais.

Autoconhecimento foi o que revolucionou minha vida, dos meus alunos, dos meus clientes e tenho certeza que pode revolucionar a sua também.

Escolhi trabalhar com o Thetahealing como ferramenta principal de desenvolvimento pessoal, e te convido a conhecer também.

Veja nossos materiais gratuitos (Instagram, Facebook, Youtube), eventos, cursos ou agende uma sessão com um dos nossos terapeutas.

Você pode escolher outra ferramenta também. Mas escolha alguma e se joga! É um caminho sem volta porque, de fato, você não vai querer voltar pra uma vida de sofrimento e autossabotagem. 🙂

Espero que tenha gostado do texto. 

E, caso sinta no seu coração que ele pode ajudar outras pessoas, compartilhe com elas.

Vamos espalhar a cura!

Gratidão,

Renally Leal.

A Cocriação é um fato. A todo momento, são as nossas palavras, pensamentos, sentimentos e ações que produzem a nossa realidade.

Em um primeiro momento, pode ser perturbador saber disso, afinal, a maioria de nós está insatisfeito com pelo menos uma área da vida.

E aí você se pergunta “Como é que eu ia me colocar nessa situação tão difícil?”, seja financeira, afetiva, física ou emocionalmente.

Mas se você parar pra refletir, a cocriação é uma dádiva: se nós somos os responsáveis por manifestar a nossa realidade, então podemos escolher ter uma vida incrível e cheia de benções.

E como fazer isso? Por que até agora você não conseguiu um relacionamento saudável, independência financeira, uma saúde perfeita, o corpo que sempre quis ou a viagem dos seus sonhos? 🤔

Sim, todos nós temos uma lista de desejos, mas nem sempre conseguimos realizá-los. Alguns, inclusive, parecem um sonho distante.

Mas, a seguir, você vai ver descobrir quais são os erros que te impedem de cocriar a realidade linda que você tanto deseja e merece. E, claro, também vai ver como começar a manifestar seus desejos, independentemente do tamanho deles.

Vamos lá?

Erro #1 na Cocriação da Realidade: Comportamentos Incoerentes

“Orai e Vigiai”… Essa é uma frase famosa da Bíblia, mas muito pertinente até para ateus.

Na prática, significa que além de desejar algo, você deve estar atento aos seus pensamentos e comportamentos.

Será que eles estão coerentes com aquilo que você deseja manifestar na sua vida?

Vamos supor que você queira atrair prosperidade e abundância, mas, ao mesmo tempo, tem o padrão de reclamar muito.

Toda vez que você reclama está se conectando àquilo que gerou a reclamação. A própria palavra “reclamar” significa “clamar duas vezes”.

E assim você acaba atraindo mais escassez, injustiça, sofrimento, raiva, além de todos os outros sentimentos relacionados a sua reclamação.

Ou seja, embora você deseje ter prosperidade, está se conectando ao oposto disso. Como a prosperidade poderá se manifestar na sua vida?

E olha, não estou falando de reclamar de uma coisinha ou outra de vez em quando. Nós somos humanos e, mesmo tendo acesso a esse conhecimento, estamos suscetíveis a lamentar ou reclamar às vezes.

Eu me refiro a pessoas que são viciadas em reclamar, pois infelizmente podemos viciar nossa mente em conflito, tristeza, reclamação e, apenas tomando consciência desses padrões, podemos nos direcionar para a cura.

Uma dica? Trabalhe seu olhar para enxergar os aprendizados que cada situação, especialmente as mais desafiadoras. Pode ser que as primeiras tentativas não sejam fáceis, mas, com a prática, agradecer se torna seu novo padrão.

E a gratidão é uma das frequências mais elevadas que você pode vibrar, gerando cada vez mais motivos para agradecer.

Erro #2 na Cocriação da Realidade: Subestimar o poder das palavras na Cocriação

Uma outra maneira bastante comum de boicotar as nossas manifestações é através das nossas palavras.

Toda vez que você diz, por exemplo, “Desculpa por ter chegado tarde. Eu estou sempre atrasada” está mandando um comando para o seu cérebro.

“Como assim, Renally?”

A gente costuma acreditar que isso é uma constatação, mas se você está sempre se desculpando, acaba nutrindo um sentimento de culpa. E não importa o tamanho da sua culpa, você automaticamente começa um processo de autopunição. 😥

Afinal, “todo culpado merece ser punido”. Essa é uma crença que todo mundo tem.

Então, ao invés de dizer “Desculpa pelo atraso. Eu estou sempre atrasada”, diga “Obrigada por ter me esperado, obrigada pela sua compreensão.” E pode repetir mentalmente “Eu já estou me tornando uma pessoa mais pontual.”

Essa inversões são TÃO poderosas que um dos primeiros tópicos ensinados no DNA Básico, curso inicial do Thetahealing, é justamente o uso de palavras e pensamentos para cocriar a realidade que desejamos, invertendo padrões negativos por padrões positivos.

Portanto, orai e vigiai suas palavras, sentimentos, pensamentos e atitudes. Empodere-se daquilo que você está emanando para o universo e assuma a responsabilidade pela sua vida.

Esse é o primeiro passo para cocriar a realidade que você deseja.

Erro #3 na Cocriação da Realidade: Falta de clareza

Muitas pessoas não manifestam o que querem porque simplesmente não sabem o que querem!

Sim, muitas pessoas se sentem perdidas e acabam incorporando padrões sociais de felicidade como seus próprios padrões.

Existe muito pouco autoquestionamento sobre o que realmente preenche suas almas.

E sem essa clareza, sua energia fica dissipada, é difícil ter foco e objetividade e, sem isso, a cocriação de uma realidade plena se torna inviável.

“Se você não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve.”

Portanto, eu recomendo que você pense profundamente sobre isso. Se tiver dificuldade, pense primeiramente no que você deseja sentir.

Que situações, projetos, lugares, relações ou coisas poderiam proporcionar isso a você?

Qual foi a última vez na vida que você acessou essas emoções positivas que deseja acessar novamente? Com quem você estava? O que estava fazendo?

Isso pode te dar pistas maravilhosas, além de fazer você se conectar às boas energias desses momentos. Experimente!

Faça uma lista de manifestações!

Depois disso, coloque no papel – escreva mesmo – tudo o que você quer, com detalhes. Faça uma lista com pelo menos 5 coisas que você quer manifestar na sua vida.

A escrita tem um poder incrível na cocriação. Primeiro pela clareza que proporciona, e segundo porque passamos a focar naquilo que queremos.

E tudo aquilo que você foca se expande na sua vida.

“Mas por que pelo menos 5 coisas?”

Porque quando você tem apenas um objetivo, pode levar a vida inteira para alcançá-lo justamente porque fica obcecado naquilo e essa obsessão pode gerar muita ansiedade.

E o que é a ansiedade? É fruto da preocupação e do medo. Se você entra nessa frequência, automaticamente dificulta muito a manifestação dos seus desejos.

É importante ter metas e desejos, mas também é fundamental ter leveza para conseguir alcançá-los.

Por isso recomendo que você tenha pelo menos 5 objetivos na lista. Assim você coloca o seu cérebro para trabalhar a seu favor em buscar de diferentes desejos.

Conforme você for realizando cada um deles, vai gerando mais força e energia para realizar os demais.

Erro #4 na Cocriação da Realidade: Não fazer a lista no presente

No processo de comando do Thetahealing, devemos escrever nossos desejos no presente, como se eles já estivessem acontecendo.

Isso porque nossa mente não sabe a diferença entre aquilo que imaginamos e aquilo que é real.

Ou seja, ao invés de escrever em sua lista de manifestações “Eu quero uma viagem para Paris”, escreva “Eu estou em Paris aproveitando tudo de melhor que a cidade tem a oferecer.”

Quando você faz isso, sua mente entende que aquilo já faz parte da sua realidade. E como tudo é vibração, começamos a nos alinhar energeticamente com aquilo que queremos.

Além disso, quando você escreve “Eu quero isso, eu quero aquilo” acaba se conectando à escassez, afinal, se você quer algo é porque ainda não tem aquilo, certo?

Por isso, vale repetir: a gratidão é uma energia poderosíssima. Quanto mais você agradece, mais coisas boas acontecem.

Eu acredito fortemente que o maior segredo para o sucesso em todas as áreas da sua vida é justamente a gratidão.

Agradeça não só por aquilo que você tem (o que já é um desafio para a maioria de nós), mas também por aquilo que estar por vir.

Faça isso e veja sua vida se transformar muito rapidamente, de verdade.

Erro #5 na Cocriação da Realidade: Nutrir sentimentos negativos

Nossa mente está sempre em busca de algo para se ocupar. Essa é a função dela.

Tendo consciência disso, a sua função é, portanto, alimentá-la de coisas positivas e evitar futilidades.

Se você gosta de se ocupar com notícias de tragédia, escândalos políticos, fofocas, intrigas e afins, muito provavelmente está vibrando numa frequência baixa e dificilmente vai cocriar uma realidade satisfatória. Pelo contrário!

Portanto, cerque-se de positividade: desde os livros que você lê até os grupos que você partida no WhatsApp. Escolha com sabedoria no que você vai focar sua atenção e com quem vai compartilhar energia.

Conecte-se a coisas, pessoas, lugares e situações positivas!

Cuidado com os 3 R’s: Ressentimento, Rejeição e Remorso

Essas três emoções são as que mais bloqueiam as manifestações que a gente quer porque eles ocupam muito espaço no nosso campo energético.

Sim, gastamos muito energia para alimentar essas emoções, ainda que elas estejam no nível inconsciente.

Como saber se você está nutrindo essas emoções?

Se tem algo do seu passado que ainda gera desconforto quando você se lembra, então essa emoção negativa ainda está em você. Ficar presente para isso é o primeiro passo.

No Thetahealing existem comandos e ferramentas específicas para liberar e substituir essas emoções, mas caso você ainda não tenha feito os cursos, procure maneiras de extravasar – ao invés de sufocar – suas emoções.

Além disso, sempre que estiver triste, com raiva, deprimido, evite nutrir esses sentimentos com mais negatividade.

Por exemplo: não vá ver o perfil do seu ex ou de alguém que você não gosta, mas procure elevar sua vibração. Coloque uma música alegre, dance, fale com um amigo sobre planos para o futuro, vá fazer um exercício ou uma atividade que te dê prazer.

Isso não significa negar suas emoções, mas sim assumir o papel de responsável pelo que você sente e então retomar o controle da sua vida.

O que está impedindo você de realizar seus desejos?

Se você já é Thetahealer, recomendo que investigue possíveis crenças por trás de algo que ainda não se manifestou na sua vida

Pegue sua lista e se pergunte “O que está me impedindo de realizar isso?”. Se a resposta for “falta de dinheiro” ou “falta de tempo”, imagine que você tenha o dinheiro ou o tempo necessários para realizar seu desejo.

O que ainda te impediria de realizá-lo?

Podemos descobrir uma série de crenças apenas com essa pergunta e, partir disso, testá-las e substitui-las por crenças fortalecedoras.

Nossos desejos dizem muito sobre nós e isso é ótimo!

Aproveite sua lista para se conhecer melhor e mergulhar em si mesmo. Isso vai, inclusive, ajudar você a diferenciar necessidades genuínas da sua alma dos desejos do ego.

E caso sinta no seu coração que o Thetahealing pode ajudar você a manifestar uma nova realidade e expandir sua consciência, conheça nossos cursos. As portas estão abertas para você.

Compartilhe esse texto com seus amigos e deixe um comentário logo abaixo dizendo o que achou. Vou adorar saber.

Gratidão,

Renally Leal.

 


Ansiedade tem cura? Essa pergunta tem se tornado cada vez mais comum, vide que o Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade do mundo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 9,3% dos brasileiros sofrem de algum transtorno de ansiedade.

E apesar de ser um número preocupante, ainda não reflete a realidade, pois não leva em consideração pessoas que, embora não sofram algum distúrbio – como síndrome do pânico ou fobia social -, têm suas vidas drasticamente afetadas por essa emoção.

Sim, a ansiedade é uma emoção normal do ser humano e nos ajudou a evoluir como espécie, já que nos preparava para lutar ou fugir de um perigo.

Acontece que, hoje em dia, boa parte dos perigos não são reais. Eles são causados por um estado permanente de medo, estresse, perfeccionismo, necessidade de tentar controlar tudo, baixa autoestima, excesso de tarefas, entre outros problemas intensificados por um estilo de vida cada vez mais frenético.

No Thetahealing, nós entendemos que nada disso é um problema, mas sim sintomas de algo maior: nosso sistema de crenças.

Todos nós temos um sistema de crenças formado pelas nossas experiências do passado, a partir de tudo que vimos, ouvimos ou testemunhamos, mas também trazemos crenças no nosso código genético e pela interferência dos nossos antepassados, episódios traumáticos e sociedade.

Um exemplo de crença que pode intensificar sua ansiedade: “Preciso ser perfeito para ser amado”.

Essa crença, quase sempre inconsciente, faz você buscar um padrão de qualidade altíssimo, exigindo de si mesmo uma atuação sem falhas.

A busca pela perfeição é interminável e estressante e, além de gerar um estado permanente de ansiedade, também gera procrastinação e sobrecarga.

Afinal, se tudo precisa sair perfeito, muitas vezes você prefere nem começar algo. E, quando decide fazer, prefere não pedir ajuda, já que ninguém fará tão bem quanto você.

Se identificou com algumas dessas atitudes?

Pois é, elas são mais comuns do que você imagina e, para curar a ansiedade, é preciso ir até a raiz dos problemas. É preciso se dedicar ao autoconhecimento.

Por isso, logo abaixo, você vai conhecer as minhas 3 estratégias preferidas para controlar a ansiedade, além de ter acesso a sugestões de como aplicá-las em seu dia a dia. Vamos lá? 🙂

Estratégia #1 para curar a Ansiedade: Respiração

Por incrível que pareça, a maioria das pessoas não sabe respirar corretamente. Quer fazer um teste?

Respire profundamente agora.

Se você for como a maioria das pessoas, aposto que levantou um pouco os ombros e estufou o peito. E especialmente quando estamos em pé ou deitados, é comum que isso aconteça.

Porém, não deveríamos usar o peito para respirar, mas sim o diafragma, músculo que está mais perto da barriga.

Veja bem: respiramos cerca de 20 mil vezes por dia, e quase sempre de maneira superficial.

Com isso, aproveitamos somente a parte superior dos pulmões, quando a maioria dos vasos sanguíneos que levam oxigênio para o corpo está na parte inferior.

Desta forma, respiramos mais rapidamente do que a natureza pretendia que fizéssemos.

Além de prejudicar o equilíbrio entre oxigênio e dióxido de carbono do sangue, a respiração torácica pode causar dores de cabeça, fadiga, além de ansiedade e até ataques de pânico.

Também pode causar dificuldade para relaxar, aumentar a percepção da dor e cansaço geral.

Fato é que todos nós sabemos respirar corretamente. Basta você olhar para os bebês: eles respiram de forma mais profunda, chamada respiração abdominal, que faz pleno uso do diafragma.

⚠️ Porém, conforme amadurecemos e incorporamos hábitos, crenças e percepções negativas do ambiente, adotamos uma respiração defensiva, rígida e curta, de quem está constantemente preocupado.

Como controlar a ansiedade? Respiração na Prática

Como o ato de respirar é algo automático – fazemos até quando estamos dormindo – acabamos não dando a atenção necessária para isso.

Então, o primeiro passo para curar a ansiedade é você despertar para a importância de uma respiração adequada e usar o poder dessa prática simples (e gratuita!) a seu favor.

Veja abaixo alguns exercícios do Spot da Felicidade para incorporar no seu dia a dia.

Para colher maiores benefícios, o ideal é que você faça os exercícios de 5 a 10 minutos por dia, preferencialmente duas vezes ao dia. Mas não é necessário fazer todos.

Além disso, não precisa de um lugar especial para fazer: pode ser na sua cama, no trabalho, no metrô, no banheiro! Escolha uma das técnicas abaixo e experimente. 🙂

Pela manhã ou sempre que precisar de mais concentração:

Esta técnica trás calma e equilíbrio, além de unir o hemisfério esquerdo e direito de cérebro.

Sente-se numa postura de meditação (imagem abaixo), no chão, no sofá ou em uma cadeira. Coloque o polegar direito sobre a narina direita e inspire profundamente pela narina esquerda.

Em seguida feche a narina esquerda com o indicador e deixe sair o ar pela narina direita, levantando o polegar.

Continue o exercício inspirando pela narina direita, feche a narina com o polegar direito e expire pela narina esquerda.

Essa respiração, Nadi Shodhana, limpa os canais e nos faz sentir despertos. É como tomar uma xícara de café. Só não se esqueça de respirar profunda e calmamente.

Para dormir melhor:

Inspire o ar pelo nariz contando de 1 a 4 e expire também pelo nariz contando de 1 a 4 (o nariz oferece uma resistência natural à respiração).

Esta técnica se chama Pranayama Básico. Os yogues contam de 6 a 8 tempos por respiração, sempre com os mesmos objetivos: acalmar o sistema nervoso, aumentar a concentração e reduzir o estresse.

Para se sentir mais disposto e aflorar pensamentos positivos:

Comece com uma inspiração longa e lenta pelo nariz e a seguir uma expiração forte e rápida a partir do baixo ventre.

Depois de se sentir confortável com a contração, apresse o movimento de inspiração-expiração(sempre pelo nariz), a cada um a dois segundos no total de 10 respirações seguidas. O nome desta técnica é Kapalabhati Pranayama.

Se não tiver entendido muito bem, veja este vídeo para entender o movimento.

Estratégia #2 para curar a Ansiedade: Meditação

Sabe o que eu acho mais bonito sobre a meditação? É que, se você parar para pensar, esse é o único momento em que você pode olhar pra dentro.

Em todos os outros, com os olhos abertos, você está olhando para fora, para as coisas que raramente pode mudar.

Ser um observador de si mesmo é o antídoto mais poderoso contra a ansiedade, afinal, a observação traz a consciência e a consciência traz a cura.

Quando você cura seu interior, isso naturalmente se reflete no seu exterior. Não é um processo fácil, mas é o único possível. E sempre vale a pena.

Infelizmente, muitas pessoas ainda acreditam que meditação é um privilégio dos monges tibetanos, quando na verdade é uma necessidade de qualquer pessoa, especialmente aqueles que estão sofrendo com a ansiedade.

No DNA Básico, o curso inicial do Thetahealing, abordamos – entre outras muitas coisas – o poder das palavras e pensamentos.

Toda vez que você diz “Sou muito ansioso, não consigo meditar” (ou frases do tipo), está cocriando a sua realidade.

Permita-se experimentar e, assim como qualquer coisa que você deseje melhorar, a meditação exige prática para ser aperfeiçoada. 🙂

Pressa e cura são duas condições que não coexistem.

É justamente o nosso estado ansioso que nos distancia da saúde (física, mental, emocional e espiritual), pois um dos sintomas da ansiedade é querer resultados para ontem. Pense nisso.

Como controlar a ansiedade? Meditação na Prática

Existem diversas técnicas de meditação, seria difícil abordar todas elas com profundidade neste texto.

Porém, vale lembrar que Thetahealing é uma técnica de cura pela meditação e, para que você colha os benefícios dessa prática e ainda tenha acesso ao poder de cura do Thetahealing, preparei uma meditação bem especial para você. 🤗

O diferencial desta meditação é que ela te conduz para o estado de onda cerebral Theta, frequência que acessamos naturalmente quando estamos indo dormir ou acordando, isto é, quando estamos passando do consciente para o subconsciente e vice-versa.

É o estado mental em que você conscientemente pode (re)criar a sua realidade a partir de visualizações muito vívidas, criatividade elevada e profunda conexão com o todo: você está consciente do seu entorno, mas seu corpo está em relaxamento profundo.

Recomendo que defina um horário na sua rotina para meditar e assuma esse compromisso. Ninguém pode fazer isso por você. Pare de adiar o que você sabe que é importante, ok? 🙂

Estratégia #3 para curar a Ansiedade: Escavação dos seus medos

Ansiedade e preocupação andam lado a lado. E o que gera preocupação? Ele mesmo: o medo.

Medo de que nossos planos não deem certo, medo que não ter recursos para lidar com determinadas situações ou pessoas, medo de sofrer, medo de decepcionar alguém e tantos outros medos que guardamos em nosso coração.

Acontece que o medo se alimenta do desconhecido. Quando a gente não sabe o que vai acontecer, a mente começar a criar um monte de histórias sobre aquilo. (normalmente histórias ruins)

Essas histórias são, como você já viu, fruto das nossas crenças.

E como resolver isso? Gerando clareza para iluminar o desconhecido!

No curso DNA Básico, você aprende a fazer o “Digging” do medo.

É um trabalho de escavação de crenças para encontrar a crença raiz, aquela que sustenta todas as demais crenças que você tem em relação ao dinheiro, aos relacionamentos, à família ou qualquer outra área da sua vida, incluindo as crenças sobre você mesmo.

Quando você descobre e muda essa crença, todas as demais também são removidas do seu sistema.

Muito resumidamente, o Digging do medo se resume a fazer uma pergunta específica sobre situações que gerem preocupação em você. A pergunta é: O que de pior pode acontecer se “seu medo” se concretizar?

Então, em primeiro lugar, faça uma lista do que você tem medo. Anote mesmo.

Depois, vá se perguntando: o que de pior pode acontecer se isso realmente se concretizar?

Geralmente, com um pouco de escavação – perguntando também por que, como e quando esse sentimento surgiu – é possível chegar na crença raiz que originou determinada preocupação.

É claro que, durante o curso, aprendemos mais ferramentas para encontrar as crenças que estão gerando problema na vida de alguém ou na nossa própria vida, já que o Thetahealing é autoaplicável.

Em seguida, fazemos um comando para substituir a crença limitante por uma crença fortalecedora e, caso seja necessário, também é feita a instalação de sentimentos, como confiança, paz, tranquilidade, (auto)reconhecimento e qualquer outro que seja indicado pela Fonte Criadora durante a sessão.

Mas ainda que você não tenha feito o curso, o simples fato de identificar seus medos e trazê-los para o consciente já pode gerar confiança e coragem para encará-los.

Como controlar a ansiedade? Relaxe e confie

O medo acontece, sobretudo, por falta de confiança. Sim, confiança de que existe uma sabedoria superior regendo todo o universo, incluindo nossas vidas.

Essa sabedoria – que você pode chamar de Deus, Universo, Energia ou como preferir – está cuidando de você. Tudo que acontece é para a sua evolução.

Mas apenas quando estamos perceptivos e presentes conseguimos nos dar conta disso.

Portanto, pratique a presença, permita-se sentir prazer de verdade e evite ser multitarefa.

Quanto mais presença, mais paz. Quanto mais paz, menos medo.

Veja: não é o excesso de ocupações que vai te trazer felicidade, é o seu nível de presença e consciência em uma determinada situação que vai trazer satisfação.

Qualquer coisa que a gente faça ansiosamente é como se não a fizéssemos porque não há consciência/presença nesse fazer.

Isso dá a sensação de que nunca fizemos o necessário, que nunca é bom o suficiente. Logo, nós temos a ideia de que NÓS não somos bons o suficiente, somos limitados. A autoestima despenca.

Então, entregue-se: desde sentir a água quente tocando sua pele em cada banho, passando por aquele prato delicioso que você estava a fim de comer há dias até o beijo de alguém que você ama.

Sempre vale a pena estar inteiro.

A ansiedade não está deixando você aproveitar o presente, e o presente é a única coisa que você realmente tem.

Espero que tenha gostado do texto. 🙂

E, caso sinta no seu coração que ele pode ajudar outras pessoas, compartilhe com elas.

Vamos espalhar a cura!

Gratidão,

Renally Leal.

O despertar espiritual é o processo mais transformador, profundo e decisivo que pode acontecer na vida de uma pessoa.

É quando finalmente deixamos de nos enxergar como seres humanos e passamos a nos enxergar como seres espirituais… Passando por uma experiência humana.

Sim, é um processo muito bonito, mas também muito intenso: confiar sem ver, acolher nossas sombras, olhar para as nossas feridas, lidar com a dor do autoconhecimento… Tudo isso também faz parte do despertar espiritual.

Por isso, às vezes essa é uma experiência muito solitária, pelo menos em um primeiro momento.

Porém, hoje nós vivemos na era da informação e a internet abre um novo leque de possibilidades e conexões! 🙏🏼 É por causa dessa ferramenta tão poderosa que você está lendo esse texto, não é verdade?

Eu tive acesso a muitas pessoas, formações e oportunidades graças à internet. Muitas mesmo! E tudo isso tornou meu despertar espiritual muito mais leve e fluido, culminando com a criação do Instituto da Cura e os cursos de Thetahealing.

Por isso, senti que tinha a obrigação – na verdade, compromisso – de preparar esse texto com minhas 7 maiores referências em autoconhecimento e espiritualidade.

Essas pessoas facilitaram meu caminho de diversas formas e tenho certeza que podem ajudar no seu processo também.

#1. Paula Abreu – Escolha sua Vida

Paula Abreu é um dos maiores exemplos de como a vida pode ser incrível, feliz e próspera quando seguimos o caminho do nosso coração, ao invés de seguir o que nossa família, amigos ou sociedade acham certo.

Hoje, ela é escritora, coach e treinadora de desenvolvimento pessoal reconhecido internacionalmente.

Criou o primeiro programa de Coaching e Desenvolvimento Pessoal Online do Brasil, o programa “Escolha Sua Vida”, que também é nome do seu livro mais vendido e, não por acaso, o título tem tudo a ver com sua história pessoal.

Até os 35 anos, trabalhava como advogada, era pós-graduada e com Mestrado pela Columbia University School of Law, em Nova York.

Aos olhos dos outros, tinha uma vida perfeita, mas aos seus próprios olhos, sentia-se vazia. Após uma demissão, resolveu investir no que sempre foi sua paixão: escrever.

Em seguida, enveredou-se pelo coaching e hoje é uma das maiores referências no segmento: mais de 100 mil alunos completaram seus treinamentos online!

Acompanhe a Paula nas redes sociais e aprenda as ferramentas que a permitiram transformar o que era aparentemente impossível – ser feliz e próspera fazendo aquilo que ama – em realidade.

Site | Facebook | Instagram @escolhasuavida | Youtube

#2. André Lima

André Lima é terapeuta holístico e empreendedor, e já ajudou milhares de pessoas a dar grandes saltos em desenvolvimento pessoal, emocional e profissional com a EFT (Emotional Freedom Techniques), uma combinação dos conhecimentos milenares da acupuntura associados a pesquisas modernas no campo da psicologia energética.

Inclusive, foi depois de ter acesso ao trabalho do André e à EFT que eu entendi que precisava curar minhas próprias emoções se quisesse construir uma vida melhor.

Mergulhei profundamente nessa técnica e sou muito grata a todo (auto)conhecimento que ela me proporcionou. Foi um degrau importantíssimo para conhecer o Coaching e, mais à frente, o Thetahealing. 🙂

Você pode entrar no site EFT (versão brasileira) e baixar o manual gratuitamente para entender como este método pode ajudar você a resolver diversos tipos problemas, desde ansiedade e stress até cólicas menstruais e depressão.

Além disso, recomendo acompanhar o André Lima nas redes sociais:

Facebook | Youtube | Instagram @andrelimaeft

#3. Bruno Gimenes e Patrícia Cândido – Luz da Serra

A história do Luz da Serra começou aqui no Rio Grande do Sul e um exemplo maravilhoso de como a internet é uma ferramenta poderosa para cumprirmos nossa missão nessa vida.

Bruno, Patrícia e Paulo Henrique (marido da Pat) se conheceram trabalhando na indústria, uma área mecanizada e bem diferente do que fazem hoje.

Eles eram novos e, aos olhos da família e da sociedade, tinham uma vida perfeita: emprego estável, casa, carro, status… Mas nada disso fazia com que eles se sentissem felizes e preenchidos.

Até que se depararam com o mundo da espiritualidade e da terapia holística.

Não foi fácil fazer essa transição de carreira. Por muito tempo tiveram que conciliar o emprego formal com as terapias holísticas.

Quando decidiram trabalhar exclusivamente com espiritualidade e autoconhecimento, quase morreram de fome e, por falta de recursos, quase tiveram que desistir do projeto.

Afinal, vivemos em um mundo material e dinheiro é uma energia importante para termos uma vida digna.

Tudo mudou quando Bruno e Patrícia começaram a usar a internet para compartilhar conhecimento.

Hoje, ambos são, além de terapeutas holísticos, palestrantes, pesquisadores, autores de dezenas de livros (literalmente!) e criadores de grandes projetos como a Fitoenergética, O Chamado da Luz e Os Iniciados.

Site | Facebook | Youtube | Instagram @luzdaserraoficial

#4. Flávia Melissa

A Flávia é uma das pioneiras nesse mundo da espiritualidade e autoconhecimento, ao menos na era da internet. Ainda em 2012 ela já tinha seu canal no Youtube, que é um sucesso!

Para você ter ideia, ela foi eleita pelo jornal O Estado de São Paulo como uma das 14 YouTubers brasileiras para conhecer e acompanhar.

Mas muito antes disso, já tinha iniciado seu despertar espiritual.

Flávia se formou em Psicologia, teve um clínica de grande sucesso em São Paulo, mas encontrou a sua maneira de trabalhar com desenvolvimento humano por caminhos menos convencionais.

Medicina Chinesa, Filosofia Taoísta, Meditação e Programação Neurolinguística foram algumas das ferramentas que ela agregou aos seus atendimentos. Isso depois de passar quase um ano na China e, em seguida, estudar na Sociedade Taoísta do Brasil.

Em 2015, Flávia teve seu primeiro filho, Gael, cujo nascimento a incentivou a abandonar os atendimentos clínicos.

Mas a missão de ajudar outras pessoas em seu processo de despertar não acabou, pelo contrário, foi potencializada com a criação do Portal Despertar.

Portal Despertar é uma um programa de assinatura de autoconhecimento e espiritualidade que tem ajudado centenas de pessoas desde março de 2016.

Para quem adora ler, saiba que em janeiro de 2017 a Flávia lançou seu primeiro livro, “Sua Melhor Versão – Desperte para uma Nova Consciência”, que alcançou o marco de 7º lugar na lista dos mais vendidos nos segmentos de autoajuda e esoterismo da revista Veja.

Site | Facebook | Youtube | Instagram @flaviamelissa | Spotify

#5. Luana Ferreira – Natural Vibe

Luana é fundadora, apresentadora e canalizadora do Natural Vibe, um movimento que tem como objetivo ajudar as pessoas em seu processo de evolução.

Para isso, não só a Luana, mas outros profissionais trabalham em prol do despertar de consciência coletiva em suas respectivas áreas de atuação: Terapias Holísticas, Psicologia, Física Quântica, Medicina, Nutrição, Culinária Natural, Sustentabilidade e muito mais.

Tudo isso acontece não só nas redes, mas também em eventos presenciais, como vivências e retiros.

A Luana viajou o mundo trabalhando na área do entretenimento e moda, mas depois que sua filha nasceu, sentiu no coração que devia levar conhecimento sobre autoconhecimento para o maior número possível de pessoas.

Desde então, tem usado sua intuição e facilidade de conectar ideias e pessoas para espalhar sua mensagem pelo mundo, literalmente!

Site | Facebook | Youtube | Instagram @naturalvibe

#6. Márcia Luz

A Márcia atua na área do desenvolvimento há 28 anos! Ela é psicóloga, especializada em Gestal-terapia, Coach, Palestrante, Doutora em GRATIDÃO pela FCU, entre outras formações.

No início da carreira, ela se dedicou bastante aos treinamentos em grandes empresas e multinacionais, mas com o objetivo de impactar mais vidas com seu conhecimento e sua metodologia da gratidão, começou a usar as ferramentas online em 2013.

Hoje, Márcia tem mais de 20 mil alunos e uma audiência de 500 mil pessoas.

Além disso, ela é autora dos livros “Lições que a vida ensina e a arte encena”, “Outras lições que a vida ensina e a arte encena”, “Construindo um futuro de sucesso”, “Coach Palestrante”, “Coach da Gratidão Financeira” do best seller “Agora é pra valer” e toda coleção dos livros “A Gratidão Transforma”, “A Gratidão Transforma sua Vida Financeira”, “A Gratidão Transforma seus Pensamentos”, “A Gratidão Transforma sua Saúde” e o lançamento “O Milagre da Gratidão”. Uau!

Site | Facebook | Youtube | Instagram @marcialuz1

#7. Giti Bond e Gustavo Barros – Thetahealing Brasil

Ah, que casal lindo! A Giti e o Gustavo são os pioneiros do ThetaHealing no Brasil. Sou muito grata por terem trazido esse conhecimento tão poderoso para nosso país!

Para isso, eles fundaram o Instituto ThetaHealing Brasil, nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, onde ministram todos os cursos de ThetaHealing para praticantes.

Giti Bond e Gustavo Barros são também os Comunicadores Intérpretes e Coordenadores de Eventos de Vianna Stibal – canalizadora da técnica – no Brasil.

Ambos são bastante ativos no YouTube e já produziram muito conteúdo que vai te ajudar no seu despertar espiritual. 🙂

Site | Facebook | Youtube | Instagram @thetahealingbrasil

Espero que tenha gostado de conhecer algumas das minhas maiores referências em autoconhecimento e espiritualidade.

E se você tem se sentido sozinho ou sozinha no seu despertar espiritual, sinta meu abraço, mesmo que à distância.

Eu sei que é comum algumas amizades e até relacionamentos afetivos deixarem de fazer sentido nesse processo. E você vai precisar aprender a lidar com esse e alguns outros vazios.

Afinal, é preciso estar com as mãos vazias para receber algo que faça mais sentido na sua vida.

Mais do que isso: eu costumo dizer que momentos difíceis e solitários são um presságio de que um milagre está prestes a acontecer na sua vida.

Acredite no seu processo! Acredite na sua evolução espiritual! Acredite em você!

Eu acredito tanto nisso, que ajudar as pessoas a despertarem para a sua luz se tornou minha missão de vida.

Conte comigo na sua jornada. 🙂

Ah, me diz nos comentários quem você incluiria nessa lista! 👇🏼 Esse é o momento de agradecer a quem tem te ajudado e também de compartilhar conhecimento.

E se você acha que esse conteúdo pode ajudar outras pessoas, compartilhe:

Vamos espalhar a cura!

Gratidão,

Renally Leal.

ThetaHealing® é uma técnica de cura energética e autoconhecimento que combina Ciência e Espiritualidade. Está presente em mais de 40 países e tem mais de um milhão de praticantes pelo mundo.

O Thetahealing está crescendo de forma acelerada e, inclusive, já é usado por médicos em várias partes do mundo, incluindo hospitais nos Estados Unidos e Japão, além de ser aplicado pelo SUS da Bahia e de Pernambuco.

A técnica foi canalizada em 1995 pela americana Vianna Stibal e se baseia na terapia quântica: a cura acontece em um nível celular, por isso é tão profunda, rápida e definitiva.

“Como assim?”, você deve estar se perguntando.

O ThetaHealing promove mudanças no que há de mais poderoso para a mente humana: nossas crenças.

Crenças são os pensamentos nos quais acreditamos como verdadeiros. Apesar do conceito ser simples, nossas crenças representam a estrutura de quem nós somos, uma vez que toda a realidade é codificada e se apresenta, no nosso cérebro, no formato de pensamento.

Todos nós temos um sistema de crenças formado pelas nossas experiências do passado, a partir de tudo que vimos, ouvimos ou testemunhamos, mas também trazemos crenças no nosso código genético e pela interferência dos nossos antepassados, sociedade e episódios traumáticos.

Acontece que o subconsciente é responsável por 95% de toda nossa mente. Apenas 5% estão no nível da mente consciente. É o que sabemos, lembramos e acessamos.

Esse é o diferencial do Thetahealing: nas sessões, ao acessar as ondas cerebrais Theta, é possível identificar crenças e padrões negativos do subconsciente que estão registrados em nosso DNA e/ou lobo frontal do cérebro e, imediatamente, transformá-los em crenças e padrões fortalecedores através de comandos e “downloads”.

Com isso, são liberados limitações e bloqueios nos níveis físico, mental, emocional e espiritual que impedem seu desenvolvimento em qualquer área da vida.

Portanto, se você está em busca de:

  • Cura Física ou Emocional: desde um problema no joelho ou coluna até depressão, ansiedade, doenças autoimune, desequilíbrios hormonais ou qualquer outra enfermidade;
  • Mudança de hábitos: parar de fumar, praticar exercícios de forma regular, ter uma alimentação saudável, dormir mais cedo;
  • Sucesso e Abundância Financeira: melhorar sua relação com o dinheiro, sair das dívidas, ter estabilidade financeira, sentir-se realizado, valorizado e reconhecido profissionalmente;
  • Ter relacionamentos saudáveis: com você mesmo e com os outros, melhorar sua autoestima e autoconfiança, atrair um companheiro(a) compatível com você;

Leia esse texto até o final para entender exatamente o que é, como funciona e para quem é indicado o Thetahealing.

Ao final, você vai poder fazer o download de uma meditação e então sentir pelo menos um pouquinho do poder de cura da técnica, que vai além de qualquer explicação.

Vamos lá?

(Clique no título para ir direto à parte correspondente do texto)

Thetahealing: O que é? (e o que NÃO é!)

  • Onda Cerebral Theta: entendendo a origem do nome
  • As Bases do Thetahealing: Se você é cético, precisa saber disso

Como Funciona? | Os 6 Passos mais comuns de uma Sessão de Thetahealing

  • Quanto tempo dura cada sessão e o tratamento?
  • Thetahealing à Distância: É possível?

Para quem o ThetaHealing® é indicado?

  • Os Atendimentos
  • Os Cursos Oficiais

Concluindo: O que é Thetahealing?

Thetahealing: O que é? (e o que NÃO é!)

Antes de saber exatamente o que é Thetahealing e como funciona, é preciso saber o que NÃO é Thetahealing.

Embora os termos “Criador”, “Fonte Criadora” e “Fonte Divina” sejam muito comuns no contexto desta técnica de cura, não se trata de uma seita ou religião.

É uma abordagem holística de desenvolvimento pessoal, ou seja, que busca um entendimento integral dos fenômenos e, para isso, utiliza as Ondas Cerebrais Theta para promover uma mudança positiva e poderosa.

O ThetaHealing® foi criado em 1995 pela norte-americana Vianna Stibal, até então naturopata, que tinha habilidades intuitivas bastante desenvolvidas e as usava para fazer “leituras intuitivas” em outras pessoas.

Nessa época, Vianna foi diagnosticada com câncer no fêmur. A princípio, a doença não tinha possibilidades de cura e ela teria apenas 3 meses de vida.

A medicina tradicional e alternativa não foram capazes de curá-la, até que Vianna Stibal decidiu usar em si a mesma técnica que usava em suas leituras intuitivas.

A simples técnica de visualização já havia curado doenças de diversos clientes e foi a chave para livrá-la do câncer. A cura aconteceu de forma instantânea. Assista ao vídeo em que ela conta a história.

Hoje, Vianna é uma renomada professora espiritual que ensina sua filosofia e técnica de meditação em todo o mundo.

Com a ajuda de um físico e após realizar um eletroencefalograma, Vianna descobriu que, ao usar a técnica, ela acessava suas ondas cerebrais Theta.

A seguir, entenda o conceito de onda cerebral Theta, que deu origem ao nome da técnica e conheça as bases científicas do Thetahealing.

Onda Cerebral Theta: entendendo a origem do nome

Existem cinco tipos de frequência de ondas cerebrais em que nosso cérebro pode atuar. Elas são medidas em ciclos por segundo (Hz) e cada uma representa um nível específico de atividade cerebral, além de um estado único de consciência.

#1. Beta (14 a 28Hz)

Frequência associada ao estado de alerta, lógica e raciocínio. É uma frequência importante para realizar tarefas do dia a dia, porém, permanecer muito tempo neste estado pode gerar ansiedade, estresse, inquietação e autocobrança. Não é surpresa saber que a maioria dos adultos atua nesta frequência a maior parte do dia.

#2. Alpha (7 a 14Hz)

Frequência associada ao estado de relaxamento profundo. Acessamos a este estado geralmente de olhos fechados (exemplo: ao meditar). As ondas cerebrais Alpha potencializam a imaginação, memória, aprendizagem e concentração, além de aguçarem a nossa intuição.

#3. Theta (4 a 7Hz)

Esse é o estado que acessamos quando estamos indo dormir ou acordando, isto é, quando estamos passando do consciente para o subconsciente e vice-versa. É o estado mental em que você conscientemente pode (re)criar a sua realidade a partir de visualizações muito vívidas, criatividade elevada e profunda conexão com o todo: você está consciente do seu entorno, mas seu corpo está em relaxamento profundo.

#4. Delta (0 a 4Hz)

Acontece quando estamos em sono profundo ou meditação transcendental. As informações recebidas nessa frequência estão indisponíveis no nível consciente.

#5. Gamma (28 a 500Hz)

Esta faixa foi descoberta mais recentemente e algumas investigações iniciais sugerem que as ondas Gamma estão associadas a insights poderosos e alto nível de processamento de informações que podem gerar muito discernimento.

Agora que você já conhece as frequências em que nosso cérebro pode atuar, viu que a onda cerebral Theta é aquela que opera em nosso subconsciente – parte de nossa mente que guarda memórias, sensações e controla atitudes, comportamentos e crenças – de forma consciente.

Thetahealing é a única técnica de cura que ensina como atingir a frequência “Theta” em poucos segundos e, principalmente, como mudar o sistema de crenças a partir dessa frequência. Isso é tão poderoso porque nossa realidade é reflexo daquilo que acreditamos.

E se você ainda acha tudo isso muito utópico, filosófico ou inatingível, convido a ler a parte seguinte e conhecer as bases científicas do Thetahealing.

As Bases do Thetahealing: Se você é cético, precisa saber disso

“Só há duas maneiras de viver a vida: a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse milagre.” (Albert Einstein)

Se você acredita ou quer vivenciar milagres, o Thetahealing é para você.

Mas se você é do tipo que precisa de evidências científicas para acreditar em algo, não se preocupe, o Thetahealing também é para você! 🙂

A técnica funciona com base nos princípios de dois campos da ciência: 1) Física Quântica e 2) Epigenética.

1) Física Quântica:

A Física Quântica é um ramo da ciência que estuda todos os fenômenos que acontecem com as partículas atômicas e subatômicas, ou seja, que são iguais ou menores que os átomos, como os elétrons, os prótons, as moléculas e os fótons.

Porém, ainda que a física quântica esteja focada nos fenômenos microscópicos, estes são refletidos em todos os aspectos macroscópicos, uma vez que todas as coisas no universo são feitas a partir de moléculas, átomos e demais partículas subatômicas, inclusive eu e você.

E já que somos um aglomerado de partículas vibrando em diferentes frequências, ao alterar a frequência da vibração, é possível alterar também a natureza da partícula.

Assim, partículas de “doenças” podem ser transformadas em partículas “saudáveis” e, da mesma forma, pensamentos que causam tristeza, raiva, mágoa, etc, podem ter suas vibrações alteradas e os sentimentos imediatamente dissolvidos.

2) Epigenética

A palavra “epigenética” tem origem do grego, onde “epi” significa “acima”. Portanto, seria algo “acima da genética”.

Fato é que, por muitos anos, os genes eram considerados os únicos responsáveis por passar as características biológicas de uma geração à outra.

Entretanto, esse conceito tem mudado e existem evidências científicas mostrando que hábitos da vida e o ambiente em que uma pessoa está inserida podem modificar o funcionamento de seus genes.

Isso significa que, apesar de nossa genética, somos capazes de nos transformar mudando nosso ambiente e nossa relação com esse ambiente.

O ambiente inclui nosso estilo de vida, as relações e situações as quais nos expomos e, principalmente, as crenças e padrões de comportamento que nutrimos, consciente ou inconscientemente.

É importante falar das nossas crenças, pois mesmo que nosso ambiente inclua um determinado componente – por exemplo, amor – se não acreditarmos que merecemos e podemos aceitar o amor, nossas células não o aceitarão.

E além da Física Quântica e Epigenética, temos também a Psicossomática, ciência que defende que não existe separação entre mente e corpo e integra campos da Medicina e da Psicologia.

E é nesse contexto que o Thetahealing se apresenta como uma técnica de cura tão eficiente: durante as sessões, é possível alterar as vibrações de nossas células receptoras, alterando assim o padrão de fluxo de neuropeptídeos em nossos corpos.

Quando mudamos os padrões do fluxo do nossos neuropeptídeos, mudamos a maneira como nos sentimos.

Quando mudamos a forma como nos sentimos, mudamos a forma como agimos. Quando mudamos a forma como agimos, mudamos nosso ambiente e nossas vidas. 🙂

Como Funciona? | Os 6 Passos mais comuns de uma Sessão de Thetahealing

Para tornar a explicação mais didática, pode-se dizer que uma sessão de Thetahealing geralmente acontece em 6 passos. Veja quais são eles:

1. Relato do problema ao terapeuta

A pessoa explica ao terapeuta (thetahealer) qual é a questão que gostaria de trabalhar, que pode ser:

  • Curar um ou mais problemas de saúde;
  • Sair das dívidas e conquistar abundância financeira;
  • Descobrir o propósito de vida;
  • Atrair e manter sua alma gêmea mais compatível;
  • Conseguir se desvencilhar de uma pessoa do passado;
  • Perder a timidez;
  • Ter hábitos mais saudáveis, como conseguir se exercitar ou se alimentar de forma saudável;
  • Etc.

2. Encontra-se a crença raiz

Após o relato da questão a ser trabalhada, o terapeuta inicia um processo de busca. Para isso, faz uma série de perguntas para identificar as crenças que estão gerando a situação relatada.

A questão que a pessoa apresenta no começo da sessão nunca é o problema real e, através de uma das mais importantes ferramentas do ThetaHealing, chamada Digging, conseguimos entender exatamente porque e quando foi criado o bloqueio e, assim, dissolvê-lo em definitivo.

Muitas das nossas crenças são herdadas pelos nossos ancestrais e antepassados e ficam armazenadas no nosso código genético. Há ainda aquelas que carregamos em nosso sistema por questões sociais, culturais e raciais (que chamamos de crenças históricas), além de traumas ou qualquer informação que nos foi passada e que tomamos como verdade absoluta.

Ao esbarrar nas crenças negativas durante a conversa, o terapeuta fará um teste muscular (teste cinesiológico), com o qual é possível identificar se realmente existe ou não aquela crença no sistema do paciente.

O terapeuta ainda pode usar uma técnica chamada “Digging”, uma ferramenta de escavação de crenças para chegar à sua raiz, a crença causadora de todo o transtorno relatado pelo cliente.

3. Acesso à onda cerebral Theta

Por meio de uma meditação específica do Thetahealing, o thetahealer acessa o estado mais elevado de consciência através da ativação das ondas cerebrais Theta, o que permite alcançar camadas profundas da mente e se conectar com a Fonte Criadora, ou Mente Cósmica (o vazio quântico das infinitas possibilidades, de acordo com a Física Quântica).

A partir dessa conexão, toda orientação da sessão, a indicação de crenças a serem liberadas e todos os downloads, bem como demais recursos que podem vir a ser utilizados, tudo será determinado por essa Fonte Criadora.

O praticante de ThetaHealing é tão somente um CANAL para que essa energia elevada faça a cura.

Por isso que a técnica pode ser usada tanto por um thetahealer, num trabalho terapêutico, quanto pode ser usada em si mesmo, de maneira autoaplicada (com o curso DNA Básico, qualquer um já está apto para usar em si e em outros).

Depois que essa meditação é devidamente aprendida e internalizada, vão-se criando caminhos neuronais no cérebro e, aos poucos, chegar a esse estado de consciência fica mais automático.

4. Remoção da crença negativa que está criando o problema e substituição por uma crença fortalecedora

Como você viu anteriormente, a onda cerebral Theta é a frequência mais propícia para a visualização, programação e uso do poder criativo da sua mente.

Por isso, ao atingirmos essa frequência com a meditação do Thetahealing, removemos a crença raiz detectada anteriormente e a substituímos por uma crença fortalecedora.

Dessa forma, o cliente se torna apto para viver em seu máximo potencial, com a capacidade de manifestar o melhor em sua vida.

Você se lembra que o subconsciente é responsável por 95% de toda nossa mente e apenas 5% estão no nível da mente consciente?

Pois é… A maioria das técnicas de cura trabalha no nível da consciência. É praticamente uma guerra perdida contra as crenças e pensamentos armazenados na sua mente inconsciente.

No caso do Thetahealing, a cura acontece de maneira tão rápida e profunda justamente porque a crença é trazida do subconsciente para o consciente, em um estado totalmente favorável para a sua transformação.

5. Instalação de sentimentos e novos programas

Às vezes, além da instalação de novas crenças, é necessário instalar sentimentos e programas. Vou dar um exemplo para que esse conceito fique mais claro.

Vamos supor que a crença trabalhada durante a sessão tenha sido “Eu não sou reconhecido pelo que eu faço”. Por mais que seja instalada uma crença fortalecedora que anula a anterior, é a instalação de sentimentos que ajuda na aceitação integral do novo padrão.

“Como assim, Renally?”

Entenda: alguém que nunca se sentiu reconhecido simplesmente não sabe qual é a sensação de receber reconhecimento.

Ou seja, a instalação de sentimentos permite ao cliente experienciar instantaneamente como é se sentir reconhecido a nível celular.

Dessa forma, é mais fácil para o cliente aceitar a nova crença no nível inconsciente. 🙂

6. Testemunho da Cura

Após a substituição da(s) crença(s) limitante(s) por crenças fortalecedoras e instalação de sentimentos e programas (quando necessário), nós vamos testemunhar a mudança acontecendo dentro do espaço energético da pessoa.

Portanto, o papel do praticante da técnica é fazer os “Comandos” do Thetahealing, e em seguida, testemunhar as mudanças realizadas.

Esse é justamente um dos princípios da Física Quântica, no qual é necessário um observador para que a matéria seja alterada.

O testemunho é a manifestação de que aquilo aconteceu: e será apresentado no formato de uma imagem mental. Nesse momento a parte do cérebro responsável pela imaginação passa a ser utilizada pela mente subconsciente para efetivar a cura.

IMPORTANTE!

Embora eu tenha feito esse passo a passo de como funciona uma sessão básica de Thetahealing, vale dizer que NÃO existe um modelo fixo e imutável para as sessões.

Pelo contrário! O paciente pode ter uma questão que será resolvida com limpeza de fragmento de almas, divórcio energético ou ainda com outros exercícios, como:

  • Conversa com o anjo da guarda;
  • Conversa com um ancestral;
  • Exercício do perdão;
  • Limpeza de espíritos errantes;
  • Remoção de ganchos psíquicos;
  • Etc.

Cada caso é um caso. Ainda que a questão trazida ao terapeuta seja muito parecida, pessoas diferentes podem demandar ferramentas diferentes, já que a crença pode ter uma raiz distinta.

Ou seja, embora exista um sessão base, o trabalho costuma variar bastante. E que bom! Isso mostra que existe bastante respeito à individualidade dos clientes, tanto por parte do terapeuta, como por parte da técnica em si.

Quanto tempo dura cada sessão e o tratamento?

As sessões podem ser feitas em 40 minutos a 1 hora. Em todas, é quase obrigatório o Digging para identificar a crença-raiz, a mais profunda, que está por trás do problema e causando toda a situação.

Caso contrário, o problema não será solucionado.

Uma vez que a crença-raiz é liberada, todas as demais, que estão atreladas a ela, também são liberadas. É como um castelo de cartas: se você destroi a base, todas as demais cartas vêm a baixo.

Só para ficar mais claro, vamos imaginar a seguinte situação hipotética: uma pessoa que venha para a sessão com o problema de compulsão alimentar, ao fazer o Digging podemos encontrar, numa primeira camada, a crença “eu tenho medo de críticas e julgamentos”, aprofundando um pouco mais, pode haver problemas de autoaceitação e, mais profundamente, pode se tratar de alguém que foi muito criticada na infância e só recebia carinho e reconhecimento quando tirava nota 10 na escola. Encontramos onde a crença foi originada.

Vamos supor que, em seu sistema tenhamos encontrado a crença-raiz “só vou ser amada se for perfeita”. Bingo!

É exatamente isso que está sustentando toda a estrutura de pensamentos sabotadores e comportamentos negativos.

Uma vez que a gente libere essa última, todas as demais crenças também são automaticamente liberadas e o problema é definitivamente resolvido.

Pode haver situações que tenham mais de uma crença-raiz, mas todas as raízes que forem retiradas e substituídas vão causar um impacto muito importante na vida da pessoa. Na verdade, é uma nova vida, muito mais leve e feliz.

Em relação à duração do tratamento, isso varia muito. Muitas pessoas obtêm o resultado esperado com apenas 1 sessão.

No entanto, por ser algo que proporciona um verdadeiro salto quântico em nossas vidas, é comum que queiramos nos libertar, cada vez mais, de nossos padrões bloqueadores e limitações.

Nesse caso, pode-se fazer sessões quantas vezes sentir necessidade e usar tanto como ferramenta de cura, como para autoconhecimento.

Particularmente, faço uma vez por semana e, se pudesse, faria mais! rs

Thetahealing à Distância: É possível?

Embora todas as formações oficiais de Thetahealing devam ser feitas presencialmente, o atendimento de Thetahealing pode ser feito à distância por meio de videoconferência.

Para isso, são utilizados programas online como Skype, Zoom e similares. Todos eles funcionam no computador, tablet e celular.

Para saber como funcionam meus atendimentos online, valores e agendar uma sessão comigo, clique aqui.

Para quem o ThetaHealing® é indicado?

A abordagem espiritual do ThetaHealing não tem nenhuma afiliação com quaisquer doutrinas religiosas, portanto, toda pessoa que tenha interesse em evoluir espiritualmente pode ser um praticante ou terapeuta de Thetahealing, independentemente de religião, crenças, formação profissional, etc. ThetaHealing é um direito seu!

E para que não restem dúvidas, logo abaixo vou falar um pouco mais sobre as possibilidades de contato com a técnica.

Os Atendimentos

Os atendimentos, que podem ser presenciais ou online, não exigem nenhum pré-requisito.

As únicas recomendações são que a pessoa sinta afinidade com a técnica, esteja aberta para falar sobre seus sentimentos e, de preferência, acredite em uma inteligência superior (Deus, Criador, Universo, Energia e etc.).

É importante também que a pessoa esteja bem hidratada, a fim de não gerar nenhuma interferência no resultado do teste muscular.

Portanto, se você busca mudar sua realidade e curar ressentimentos, medos, vícios, compulsões, traumas, bloqueios, relacionamentos, finanças, obesidade, dores, doenças ou qualquer questão de ordem física, emocional e/ou mental, o Thetahealing é para você.

Lembrando que se trata de uma das técnicas de cura mais rápidas disponíveis atualmente e é possível alcançar muito resultado em um curto período de tempo, dependendo do que o cliente está buscando.

Os Cursos Oficiais

Você não precisa ser terapeuta para querer se aprofundar no ThetaHealing. Qualquer pessoa, de qualquer área, em qualquer estágio da vida está apta para realizar os cursos, que sempre acontecem presencialmente.

Ao fazer apenas o curso inicial (DNA Básico), você já está apto para aplicar o Thetahealing em você mesmo e em outras pessoas, inclusive de forma terapêutica.

Não é obrigatório fazer os demais cursos, mas é natural que os participantes tenham interesse em se aprofundar na técnica e, com isso, façam o DNA Avançado, Aprofundando no Digging e demais formações.

Observação: a única restrição para os cursos são os 3 primeiros meses de gravidez. Não existe evidência de que fazer o curso neste período seja prejudicial à mãe ou ao bebê, mas por ser uma período considerado de risco, é preferível aguardar até que chegue o quarto mês.

Para saber mais sobre os cursos de Thetahealing, ver minha agenda de cursos ou contratar uma das formações, clique aqui.

Concluindo: O que é Thetahealing?

Neste artigo, você viu que Thetahealing é uma poderosa técnica de cura energética que combina Ciência e Espiritualidade.

Foi desenvolvida em 1995 pela americana Vianna Stibal e tem como base a Física Quântica e a Epigenética, além de integrar conceitos da Psicossomática.

O grande diferencial do Thetahealing está no acesso à frequência de ondas Theta, estado altamente favorável para identificar e transformar crenças limitantes em crenças fortalecedoras, já que acessamos nosso subconsciente de maneira consciente.

Isto é tão poderoso porque 95% da nossa mente estão justamente em nosso subconsciente.

E para que você possa experimentar um pouco da técnica, acessando agora mesmo a onda Theta, clique no botão abaixo para fazer o download da Meditação Thetahealing® que eu preparei para você. É grátis. 🙂

 

 

E aí? Gostou desse artigo? Ainda tem alguma dúvida?

O espaço abaixo é todo seu! Deixe seu comentário, eu vou adorar!

Vamos espalhar a cura!

Gratidão,

Renally Leal.